Poder Judiciário do Acre produz menos da metade do que deve e é um dos últimos em ranking de eficiência

O Poder Judiciário do Acre produz apenas 43,9% de sua capacidade levando em conta os recursos disponíveis. Para tornar-se eficiente, o Judiciário do Acre deve reduzir, entre outros elementos, de 36 para 16 o número de magistrados por 100 mil processos e de 688 para 206 número de servidores por 100 mil processos tramitados.
O TJ Acre deve também ampliar a taxa de fluidez de processos baixados ou tramitados de 39,09% para 88,3% para obter a eficiência necessária. Os dados e recomendações estão no Atlas da Eficiência da Gestão Judiciária – Tribunais de Justiça Estaduais, ano 2018 (ano base 2017), levantamento elaborado elaborado comparando o desempenho dos 27 TJ do País a partir dos dados disponibilizados pelo Conselho Nacional de Justiça, o CNJ. Sendo assim, o TJ acreano está na 22ª colocação no ranking de eficiência do Judiciário brasileiro. São comparados os resultados dos TJs do Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul, considerados eficientes.
Para estimar a eficiência, foram identificados três inputs e um output, que melhor representam o resultado da gestão dos tribunais. Os Tribunais do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Sul foram considerados benchmarks, por isso, estão chancelados com o Selo Efi 10.001 (Eficiência na Gestão Pública). Para os outros Tribunais, que não alcançaram a eficiência, o Atlas permite verificar os ajustes necessários para obtê-la, tanto com relação à redução dos insumos utilizados, quanto o aumento da produção. “Moro no Acre, e o PT simplesmente atrufiou o estado..; disse Sirlando Penha, que responsabiliza um partido político pela má fase do Judicário. O morador Gabriel Moraes concordou com ele mas apresentou um panorama diferente: “É verdade mas tem acrianos excepcionais aqui. Vamos transformar esse estado numa potência do norte do país”, disse, bastante motivado. Mas Moraes não disse como seria essa transformação. Já o morador Emanuel Teixeira foi mais didático e realista: “Você não conhece o trabalho do instituto e não se deu nem o trabalho de entrar no site né? A comparação é feita com municípios equivalentes entre si e levando em conta municípios eficientes do mesmo estado”, explicou Teixeira.